Wednesday, 15 August 2007

Situação continua «volatil e com actos de violência esporádicos»


A Missão das Nações Unidas em Timor-Leste (UNMIT) informou hoje que a situação no país continua "volátil e com actos de violência esporádicos", após vários dias de tumultos públicos em vários pontos da região.


O sub-director do UNMIT, Eric Huck Gim, declarou em conferência de imprensa em Díli que a atmosfera local está tensa em Baucau e Viqueque, as principais cidades da região oriental do país, e que na capital as coisas tendem a acalmar.

"Em Díli, a situação está relativamente calma, embora subsistam incidentes esporádicos de pessoas atirando pedras em zonas como o Bairro Pite, o porto, Santa Cruz e Comoro", declarou o oficial, um general de brigada de Singapura.

"Quero reiterar que a ONU apoia o direito a manifestações, mas estas devem ser realizadas de maneira pacífica e através dos canais legais adequados", afirmou.

Segundo o responsável das Nações Unidas, "alterar a vida normal do país, como incendiar escolas e edifícios públicos e privados, fazer deslocar pessoas dos seus locais de residência e comprometer a segurança de pessoas não é o caminho para levar o país para a frente".

Os distúrbios em Timor-Leste foram desencadeados no dia 13 quando o Presidente timorense, José Ramos Horta, designou como primeiro-ministro Xanana Gusmão, do Conselho Nacional para a Reconstrução do Timor Leste (CNRT), e não o candidato da Fretilin, o partido vencedor das eleições de 30 de Junho passado.

Xanana Gusmão dirige uma coalição de quatro formações políticas que controla 37 dos 65 lugares do novo parlamento de câmara única, enquanto que a Fretilin, embora vencedora nas eleições, apenas obteve 21 deputados.

Timor-Leste atravessa uma crise política desde Abril de 2006.


Voltar

3 comments:

José Martins said...

Já se previa com a nomeação do Xanana Gusmão pelo PR Dr. Ramos Horta que a violência seria facto corrente.

Esta que está acontecendo.

Tivemos conhecimento de várias afirmações do ex-heroi de Timor,não possuir ambições do Poder.

Uma ova!

Morto de desejo estava ele!

O jornalitsa Leonídio Paulo Ferreira, num brilhante artigo, publicado no "Diário de Notícias" refere-se ao Xanana Gusmão fotógrafo ou vendedor de abóboras e um possível Mandela (!!!) timorense.

Já nesse blogue o afirmámos que Xanana Gusmão não tem estirpe, perfil ou qualidades de gerir e sabedoria diplomática (muito necessária) para cumprir a missão de Primeiro-Ministro de Timor-Leste.

O Dr. Ramos Horta mais do que ninguém (consideramo-lo um líder inteligente e um diplomata com qualidades raras)tem conhecimento que o Xanana Gusmão não estava preparado para assumir o importante cargo.

Também não vamos aqui elogiar as qualidades de Homem de Estado do Dr. Mari Alkatiri.

Porém é o líder do partido FRETILIN e ganhou as eleições e deveria partir deste partido a nomeação do futuro PM, fosse o Dr. Mari Alkatiri ou outro membro.

O Dr. Ramos Horta demorou demasiado tempo a nomear o futuro PM e desde logo à partida era de prever que o Xanana Gusmão seria a pessoa escolhida.

Os herois são feitos pelo Povo quando muitas vezes este (o Povo)não tem a noção verdadeira se foi ou não um heroi.

Há os herois verdadeiros e os de nada.

Há os Dons Caio (um heroi da mitologia portuguesa) que o montaram num cavalo, a besta galopa e oavaleiro gritava: eu caio,eu caio, eu caio!

O Dom Caio era um guerreiro temido dos espanhois só que este era um "medroso" e colocou os espanhois em debandada, pensando que era o verdadeiro Dom Caio.

Sabemos que o Dr. Ramos Horta durante as suas correrias pelo mundo (com mérito e destreza diplomática) referia-se por diversas vezes ao heroi Xanana Gusmão.

Por outro lado o ministro dos negócios estrangeiros Ali Alatas (eu ouvi-o) declarava à imprensa que o Xanana Gusmão era um ladrão de gado e teria que prestar contas à justiça da indonésia.

Sabíamos que procurava colher dividendos, políticos e diplomáticos, referindo-se ao lutador das montanhas e da mata e já numa prisão na Indonésia.

Prisioneiro priviligeado com regalias de jogar futebol, escrever poemas e até se ter apaixonado com uma jornalista australiana com quem viria a casar e esta dar-lhe filhos.

Porém cinco anos de Presidente da República o Xanana Gusmão não conseguiu harmonizar o Povo de Timor-Leste e esteve como na giría de "calão": a encher pneus!

Mas o Dr. Ramos Horta tendo conhecimento que o Xanana Gusmão era já uma causa perdida para Timor-Leste nomeou-o!

Porque teria sido sabendo que o descontentamento do Povo viria seguir?

Não sei se o Dr. Ramos Horta e Xanana Gusmão são daqueles católicos que não perdem uma missa dominical; se estão de unha e carne com os bispos de Timor-Leste e se tomam a hóstia, dada por eles e com um pratinho de prata junto aos queixos ou se a recebem nas mãos e depois a levam à boca.

Ora por detrás da nomeação do PM Xanana Gusmão esconde-se muito!

Ou a Austrália (pétro-dólares australianas a quanto obrigam!)ou a Igreja de Timor-Leste não vê com olhos de ver o partido FRETILIN, possuir membros que professam a religião muçulmana.

Mas depois destas manobras política perigosas, quem sofre é o "mexilhão" que é o Povo que hoje vê as suas casas incendiadas, foge e pede protecção para que lhes salve suas vidas e as de seus filhos.

É lamentável que na proximidade de quase dois anos, o início dos distúrbios em Timor-Leste, que o Dr. Ramos Horta não tenha tido a coragem e sabedoria ter resolvido as divergências, em Timor-Leste, que dia a após dia se vão agravando.

Pobre Povo que não tem gente, à altura, os saiba governar.
De Banguecoque
José Martins
(Reformado e independente nas suas opiniões)

Anonymous said...

O senhor JOSE MARTINS vive em Banguecoque, mas parece que ja viveu em Timor e na Indonesia, a sua identidade eh muito estranha, e o seu nome, (sera coincidencia?)coincide com um tristemente celebre jose Martins do partido Kota ou Trabalhista, que encontrei bem fardado com pistola a cintura na zona de Mota ain (fronteira Indonesia-Timor), em 1975. Bem sao tudo conjecturas forcadas pelo seu insultativo comentario.

fiel da balanca

Anonymous said...

O fiel da balanca parece ter razao, pois que esse senhor vai tropecando e escorregando e vai deixando pistas faceis de seguir.

Eu tambem ouvi falar de um senhor JOSE MARTINS que recebeu dinheiro em Portugal, de familiares de timorenses que se encontravam em Timor no tempo da Indonesia, para os conseguir tirar de la para Portugal, e que ficou com o dinheiro e nao tratou de nada.

Consta tambem que levou uma sova desses mesmos familiares no Aeroporto de Lisboa.

Muito consta dele, acho que vou procurar saber os passos desse passaro bisnau, ao longo dos tempos.

E uma figura estranha que se dizia pertencer a CIA e a outras organizacoes do mesmo genero, e agora este Jose Martins de Banguecoque declara que:

"Por outro lado o ministro dos negócios estrangeiros Ali Alatas (eu ouvi-o) declarava à imprensa que o Xanana Gusmão era um ladrão de gado e teria que prestar contas à justiça da indonésia"

ele nao leu na Imprensa mas "OUVI-O". sera que jantou com ele?

ATENCAO QUE ANDA MOURO NA COSTA!


UMA OVA!