Thursday, 16 August 2007

Guiné-Bissau: Partidos do governo solidarizam-se com povo Timor-Leste e Fretilin

v
Bissau, 14 Ago (Lusa) - Os três partidos que integram a coligação do governo da Guiné-Bissau manifestaram-se hoje solidários com o povo de Timor-Leste e a Fretilin, vencedora das eleições legislativas mas "preterida" da governação do país.

A posição vem expressa em comunicado divulgado no final de uma reunião de líderes do Partido Africano da Independência da Guiné e Cabo Verde (PAIGC), Partido da Renovação Social (PRS) e Partido Unido Social Democrata (PUSD), as três forças políticas que integram o Pacto de Estabilidade, instrumento de sustentação do governo guineense.

No comunicado, os três partidos manifestam solidariedade para com "um país irmão", esperando que o posicionamento do governo da Guiné-Bissau possa ajudar o "martirizado povo" a encontrar uma solução "airosa e digna" para o problema criado com as eleições.

Em relação à decisão do Presidente da República de Timor-Leste, José Ramos-Horta, de entregar a governação à coligação parlamentar liderada por Xanana Gusmão, os partidos no poder em Bissau afirmam que tal constitui "deixar de lado a vontade" do povo maubere.

A votação verificada nas últimas eleições legislativas de Timor-Leste "reflecte a vontade suprema de uma maioria do povo irmão de Timor" onde o partido vendedor "foi preterido do poder", lê-se ainda no comunicado.

De acordo com os responsáveis dos três principais partidos guineenses, a decisão do Presidente Ramos-Horta está a criar já "alguma instabilidade e perturbação" em Timor-Leste, levando-os a tomar posição por um "sentimento de solidariedade".

Na nota, os três partidos guineenses lembram que têm o dever de manifestar a sua preocupação face à situação em Timor-Leste também pelo facto de a Guiné-Bissau estar a presidir à Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP).

A CPLP integra oito países lusófonos: Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, São Tomé e Príncipe, Portugal e Timor-Leste.

MB.

Lusa/Fim

4 comments:

Anonymous said...

A votação verificada nas últimas eleições legislativas de Timor-Leste "reflecte a vontade suprema de uma maioria do povo irmão de Timor" onde o partido vendedor "foi preterido do poder".

Sábias e correctas opiniões dos partidos guineenses no poder a quem desejo as maiores felicidades.

Anonymous said...

O estarem na Presidencia da cPLP tera forcosamente que lhes dar mais responsabilidade nao interferindo nos problemas internos de outros paises da CPLP. Os paises com governos proprios nao necessitam de criticas de governos como o da Guine Bissau, que tera de olhar para dentro da sua propria casa que bem desarrumada esta.

Chama-se a isto INTERFERENCIA e SOLIDARIEDADE DE COMUNAS PARA COMUNAS.

Barometro politico

Mano Fuick said...

Os tipos nen se conseguem aguentar de pe com tanto problemas internos e ainda tem a lata de andarem a esportar a solidariedade comuna. Que tal julgalos pela fusilamento dos Flechas.

Anonymous said...

Não se ralaram quando o Howard interferiu tanto no ano passado como mesmo no fim de Julho, há pouco mais de 15 dias, mas agora criticam os guineenses. Deixem-s de hipocrisias porque quer a crise do ano passado como a de agora foi toda fabricada pelos australianos. Esses é que pagaram para haver crise, os pobres dos guineenses limitam-se a dizer o que é óbvio que se deve respeitar a vontade do eleitorado que deu a vitória à Fretilin.