Tuesday, 29 May 2007

Timor-Leste: "O meu ciclo de governação terminou" - Alkatiri


Díli, Timor-Leste 29/05/2007 08:31 (LUSA)
Díli, 29 Mai (Lusa) - O ex-primeiro-ministro timorense Mari Alkatiri afirmou em entrevista à agência Lusa que o seu "ciclo de governação terminou" e que pretende preparar o partido para as eleições de 2012.

"Se a Fretilin ganhar as eleições não significa que eu regresse para o governo. Para mim o ciclo de governação terminou, de liderança não", afirmou o secretário-geral da Fretilin em Makatiki, no distrito de Viqueque, na costa sul do país.

"A maioria do comité central ainda não está convencida eu é que acho que sim. Faria melhor trabalhar para consolidar o partido, mudá-lo um pouco e adaptá-lo às novas realidades", disse.

Mari Alkatiri assume que o trabalho na Fretilin tem por horizonte uma próxima legislatura, não a que resultará com as eleições de 30 de Junho.

"Outros governem que eu devo preparar o partido para 2012", revelou.

Na abertura de campanha, Mari Alkatiri fez a defesa dos cinco anos de governação da Fretilin e apresentou as suas "propostas realistas" do partido especialmente viradas para o meio rural".

O início de campanha foi feito pelo presidente da Fretilin e do Parlamento, Francisco Guterres “Lu’Olo".

O ex-primeiro-ministro considera que a Fretilin não falhou nos primeiros cincos anos de governação.

"Só admitiria falar de falhanço se eu tivesse tido os recursos nas mãos e não quisesse aplicá-los. Não havia recursos sobretudo humanos, não havia capacidade de execução dos planos e de administrar o bem público”, adiantou Alkatiri.

3 comments:

Margarida said...

De facto tal como não se começa uma casa pelo telhado mas pelas fundações também uma administração começa por arranjar quadros e formá-los enquanto começam a governar. É sempre lenta esta aprendizagem, o caminho foi-se fazendo caminhando e os jovens governantes depois desta experiência de cinco anos estarão com certeza mais capazes do que estavam quando começaram.

Anonymous said...

Ta bem ta! Isto e' mais uma manobra politica para enganar os militantes da Fretilin que rejeitam a sua lideranca e nao o querem ver outra vez na posicao de PM tal como todos os outros Timorenses.

Depois de alcancada a vitoria (improvavel de qualquer das maneiras) faria um pequeno teatro e diria que ele nao quer mas submete-se a decisao do CCF que obviamente o iria o eleger para PM como ele ja indicou.

Mas mesmo que oficialmente ele nao ocupe o cargo de PM, todos os Timorenses sabem que ele seria o PM de facto por exercicio da sua funcao de SG da Fretilin. Mais a mais porque ele proprio diz que nao desistira da lideranca da Fretilin e o que passariamos a ver e' que as decisoes do governo passariam progressivamente a ser discutidas de forma mais activa dentro do partido ainda que nao tenha sido assim no tempo em que Mari era o PM.

Nao somos parvos!

cobramalai said...

se o anónimo anterior fizer as contas e pensar um pouco com mais sentido crítico, saberá que dificilmente qualquer um dos 3 partidos mais 'pesados', Fretilin, CNRT e PD, terá uma maioria absoluta, o que significa que qq um para governar deverá haver necessariamente coligação pós-eleitoral. ou seja, mesmo que a Fretilin esteja em posição de governar, muito dificilmente alkatiri terá espaço para o tipo de 'jogos' e manipulações de que fala....