Sunday, 18 November 2007

Timor-Leste: Alguns deputados consideraram inconstitucional mobilizar militares para a luta contra a pobreza - Ramos Horta


Lisboa, 16 Nov (Lusa) - O presidente de Timor-Leste contou hoje a compatriotas em Portugal que alguns deputados consideraram inconstitucional que ele tivesse mobilizado os militares timorense, ingleses e australianos para a luta contra a pobreza.

"Houve deputados a avaliar esta medida como inconstitucional mas eu considero que se a luta contra a pobreza é inconstitucional, então esta Constituição tem de mudar", acrescentou o estadista.

No encontro com a comunidade timorense, ao final da tarde, na Fundação Cidade Lisboa, José Ramos-Horta garantiu que a crise no seu país "está a ser ultrapassada".

Acompanhado por vários membros do seu governo - vice-ministro da Educação, ministro dos Negócios Estrangeiros, embaixador de Timor-Leste em Portugal e secretário de Estado para a Formação Profissional e Emprego - o diplomata finalizou a sua visita oficial a Portugal com uma mensagem de optimismo para os seus conterrâneos que se encontram em Portugal.

Os temas principais do discurso do presidente centraram-se nas relações externas, na educação e no sistema de saúde timorenses.

Segundo Ramos-Horta, Timor-Leste desenvolve relações diplomáticas com todos os países do continente asiático, com os Estados Unidos e com vários países da América do Sul.

Adiantou que, em 2008, Timor-Leste irá abrir uma embaixada em Brasília.

"No encontro com [Luís Inácio] Lula, em Nova Iorque, o presidente do Brasil perguntou-me quando é que eu tencionava abrir uma embaixada no Brasil. Fiquei embaraçado com a sua pergunta e respondi: Para o ano!".

No plano da educação, assegurou que o actual governo irá tratar o assunto com especial atenção em 2008.

Referiu os bons resultados dos estudantes timorenses de Medicina em Cuba, adiantando que, "se houver um aproveitamento [dos alunos de saúde] de cem por cento, teremos um médico por cada mil pessoas, dentro de cinco ou seis anos".

Referiu, também, que a língua portuguesa irá continuar a ter a mesma importância que tem hoje naquele país.

Garantiu que "os erros cometidos no passado, ficaram no passado" e não se irão repetir.

"Não se esqueçam de que somos um país jovem, com apenas cinco anos de existência e um estado moderno não se cria em tão pouco tempo", lembrou Ramos-Horta.

Limitado por "constrangimentos de tempo", José Ramos-Horta não pôde dialogar com o público, maioritariamente timorense mas disponibilizou o seu endereço electrónico para possíveis questões por parte dos que participaram no encontro.

MZB.

Lusa/Fim

1 comment:

Anonymous said...

stated most people repay ones own personal loans by the due date and additionally without the need of fees and penalties
A leading consumer debt good cause can possibly expect numerous families switching to these products to get enable in excess of payday loan financial obligations to help you two times the. debts charity claims around have used this short term, increased desire fiscal loans the year of 2010. Your charitable organisation says 3 years past may be buyers with them was initially simple.
kredyt przez internet w aig
szybka pożyczka
pożyczka na dowód
szybka pożyczka
pożyczki na dowód od 18 lat

http://szybkapozyczkabezbik.org.pl
http://pozyczki-prwatne.net.pl
http://pozyczki-prwatne.org.pl