Monday, 4 June 2007

Timor-Leste: partidários acusam Polícia de tentar matar Xanana Gusmão

Timor-Leste: partidários acusam Polícia de tentar matar Xanana Gusmão- acrescenta reação do presidente timorense - Díli, 4 jun (EFE).-

Responsáveis da campanha de Xanana Gusmão, presidente do Congresso Nacional de Reconstrução do Timor (CNRT), acusaram hoje a Polícia de tentar assassiná-lo no ataque ocorrido no domingo contra uma caravana eleitoral, no qual morreu um membro dessa legenda e outros três ficaram feridos.

Os fatos aconteceram na localidade de Viqueque, quando vários desconhecidos apedrejaram e dispararam contra a caravana eleitoral de Gusmão, causando a morte de Alfonso Guterres, um dos encarregados da segurança do CNRT.

"É uma tentativa de assassinato da Polícia local contra Gusmão.

Não usavam uniformes, mas os reconhecemos como policiais do distrito de Uatulari", disse por telefone à Efe Angela Freitas, porta-voz do presidente do CNRT.

O chefe da Polícia de Viqueque, José Casimiro, declarou à Efe que a comitiva de Gusmão foi atacada com pedras lançadas por um grupo de civis, e não descartou que policiais fora de serviço fossem os autores da morte de Guterres, que estava armado no momento do incidente.

O presidente do Timor-Leste e prêmio Nobel da Paz em 1996, José Ramos Horta, disse que "o assassinato de ontem foi uma má notícia para a democracia e não deve se repetir durante o restante da campanha eleitoral nem no pleito (de 30 de junho)".

"É muito prematuro para afirmar que policiais participaram deste assassinato, inclusive na tentativa de assassinar nosso herói e ex-presidente Xanana Gusmão, mas a justiça prevalecerá", prometeu o governante, que assumiu em 20 de maio após vencer no segundo turno as eleições presidenciais de abril e maio.

Em comunicado divulgado hoje, Gusmão condenou os incidentes e apelou ao país para renunciar à violência e reconstruir a nação sob os princípios da paz e da tolerância.

A Frente Revolucionária do Timor-Leste Independiente (Fretilin), o partido governante, também se pronunciou contra a violência eleitoral, mas pediu ao Governo e à Polícia da ONU (Unpol) uma investigação para explicar o ocorrido e a razão pela qual Guterres estava armado.

As legislativas se apresentam como um duelo entre o Fretilin, partido que liderou a luta da independência, e o de Gusmão, o primeiro presidente do Timor-Leste.

O Timor-Leste está há mais de um ano imerso em uma grave crise política, salpicada de violência, que ameaça desmembrar a nação.

O Conselho de Segurança da ONU criou a Missão Integrada no Timor-Leste, com 1.608 policiais e 34 militares, em agosto do ano passado para ajudar os timorenses a restabelecer a ordem.

8 comments:

Anonymous said...

VIVA XANANA!
VIVA CNRT!
VIVA PARTIDOS DA OPOSICAO!
VIVA A DEMOCRACIA!
VIVA TIMOR!

Margarida said...

"É uma tentativa de assassinato da Polícia local contra Gusmão. Não usavam uniformes, mas foram reconhecidos como polícias do distrito de Uatulari" disse a porta-voz do presidente CNRT Ângela Freitas.

O nome Ângela Freitas fez-me vir à memória uma reportagem que tinha vista há mais de um ano (ou na BBC ou na CNN), depois dos incidentes de fins de Abril de uma fulana um tanto para o histérico a falar das mortes e das valas comuns da responsabilidade das F-FDTL e das perseguições do governo contra a oposição. Fiz uma busca no google e confirmei que não só era a mesmíssima pessoa como até descobri que a sujeita era secretária do então PR XG e era (é?) vice-presidente de um tal PTT.

Descobri também que em princípios de Junho do ano passado nos media de Taipe e da Austrália ela acusava Mari Alkatiri de ser responsável pelo engajamento de grupos civis que atacaram membros da oposição por prepararem uma manifestação, quatro dos quais foram levados para o Hospital de Dili, e isto ainda antes do programa da Four Corners!

E que um mês antes, logo no princípio de Maio, na mesma altura em que o Alfredo desertou a moça voou para a Austrália, aflita a pedir ajuda ao Governo Australiano. Dizia ela à ABC (6 de Maio de 2005): “Penso que continua o desassossego e as pessoas continuam a refugiar-se nas montanhas porque sabem que não há garantias para a sua própria segurança,. O que tem acontecido é que precisamos de uma intervenção internacional para pôr a lei e a ordem. É a única maneira de poder ter a minha liberdade de expressão, de obter a minha liberdade de falar e não acredito que havendo esse grupo de Mari possa dar garantias de segurança. O que vai acontecer é que vão criar mais problemas, e provocar as pessoas para as dividirem e vamos regressar ao que aconteceu em 1975. Queremos viver em paz. Agora a situação é muito pior do que no referendo de 1999!”

Com isto descobri que na altura o Xanana Gusmão teve vários megafones oficiais para a imprensa Australiana amiga (a começar pela mulher). Pela boca desta Ângela partiram as mais infamantes acusações contra as F-FDTL, contra a Fretilin e contra o Mari Alkatiri que não só foram desmentidas pela ONU como pela justiça de TL.

Pelos vistos torna a acontecer o mesmo, é desta desbocada que saem estas bacoradas que até a ONU se viu obrigada a desmentir.

Margarida said...

E já agora quanto ao Germano da Silva, o tal organizador da campanha do CNRT em Viqueque e que se apressou a espalhar para tudo quanto era media que «O polícia acertou primeiro numa perna e depois deu três tiros na cabeça do segurança», tem alguma relação de parentesco com o porta-voz da CNE o Martinho Germano da Silva Gusmão?

E desafio todos a irem ao google , escreverem “Germano da Silva Timor” e verão que TODAS as notícias sobre este incidente citavam o tal Germano da Silva. Deve ser um sujeito muito importante ou muito bem relacionado.

Pode alguém informar-me s.f.f. quem é o tal Germano da Silva, organizador da campanha do CNRT em Viqueque?

Anonymous said...

germano da Silva foi desde 1974 da fretilin e da unetim a associacao dos estudantes da Fretilin. Durante a ocupacao indonesia foi muitas vezes torturado pelos servicos secretos indonesios. nos anos oitenta quando eu estava a ser interrogado pela policia Militar Indonesia por actos subversivos (e nao sou da fretilin mas nacionalista)O Germano estava a ser torturado numa sala ao lado e podis ouvir os gritos dele. puseram lhe um capacete de aco na cabela e batiam com um ferro. creio que ceio a sofrer maistarde dos timpanos.Nao espperavas esta nao e Margarida mas e verdade la por ele denunciar hoje a fretilin nao significa que ele nao seja um nacionalista.

Bibi Rusa do Farol

Anonymous said...

Xanana um lutador das montanhas claro que não se assusta com tiros.
Ninguém deseja matá-lo e que venha a ser o verdadeiro líder do povo de Timor.
Agora isto de correr que a polícia tinha tentado mandá-lo para os "anjinhos", talvez tire dividendos de simpatia para se sentar na cadeira de PM no futuro. Ao lado de Xanana está a esposa, australiana (ex-jornalista e se apaixou por ele, quando na cadeia)e com isto o apoio total da Austrália.
Ouro negro a quanto obrigas!
Até com ele se criam paixões...
Nós vimos a "madama" de Xanana na rua, junto ao povo, a dar uma ajudazita para o Mari Alkatiri deixar o lugar de PM.
Já para se sentar e fazer o sacrifício estava José Ramos Horta.
Sentou-se claro está.
Depois o Xanana não pretende ser mais presidente de todos timorenses.
Até se julgava que tinha mandado às malvas a política e iria dedicar-se a escrever e editar poemas.
Nada disso aconteceu!
Pretende ser o Primeiro-Ministro dos timorenses.
E esta?
Vamos lá entender o Xanana?
Daqui vão os votos de boa sorte para o Xanana.
E uma campanha sem tiros.
José de Alguidares de Baixo

Anonymous said...

ZE ALGUIDARES
XANANA SENTAR-SE PARA ESCREVER POEMAS? ESTAS A BRINCAR COMIGO.DE POETA E ESCRITOR SO TEM AS PENAS. O QUE DEVE MESMO SABER FAZER E PLANTAR ABOBORAS. SEMEAR TALVEZ NAO MAS PLANTAR ABOBORAS OU OBRAS FEITAS E COM ELE...

Anonymous said...

DIZ COM QUEM ANDAS, DIR-TE-EI QUEM ÉS!
por: Ana Loro Metan

MARTINHO Germano da Silva GUSMÃO
PORTA-VOZ DA CNE É RESPONSAVEL DA CAMPANHA DO CNRT!

A falta de isenção da Comissão Nacional de Eleições timorense está seriamente posta em causa uma vez mais. Durante as eleições presidenciais deparámos com o ineditismo do porta-voz da CNE tomar posição preferenciais por determinado candidato – Lasama - em vez de manter a sua isenção por respeito ao cargo que desempenha.

Desta vez a realidade veio demonstrar a impunidade com que Martinho Gusmão, aliás, Germano da Silva, aliás, sacerdote e docente da diocese de Baucau, aliás, responsável de campanha do CNRT, aliás, porta-voz da CNE de Timor-Leste, acumula todos estes cargos e faz da trapaça, da ocultação e deslealdade o seu oficio.

Em declarações prestadas à Lusa, em Viqueque, após os incidentes, Martinho Gusmão tinha vestido a pele de Germano da Silva, sendo referido pelo repórter assim: «O polícia acertou primeiro numa perna e depois deu três tiros na cabeça do segurança», relatou à Lusa, poucos minutos após o incidente, Germano da Silva, um dos organizadores da campanha do CNRT em Viqueque.”

Um dia depois, na qualidade de porta-voz da CNE, sobre este endiabrado sacerdote constava de um despacho da Efe o seguinte: ”O sacerdote Martinho Gusmão, porta-voz da CNE, disse à imprensa que dois membros do CNRT, de 18 e 24 anos, foram mortos a tiros por um polícia no domingo. Os dois estavam bloqueando uma estrada em Viqueque, 250 quilómetros a leste de Díli.” E mais à frente: "Isto não é uma campanha parlamentar e sim uma campanha criminal. Pedimos ao Procurador-geral que investigue os incidentes", disse Gusmão. ”E ainda: “O religioso denunciou que "alguns policias não são imparciais e tornaram-se militantes da Fretilin, usando as armas do Estado para assassinar o povo".

Afinal, como se pode acreditar num aldrabão tão multifacetado, de tripla personalidade, que tenta enganar tudo e todos trocando os seus nomes e apelidos, exercendo cargos partidários ao mesmo tempo que pertence à CNE. Onde estará a isenção deste grande aldrabão? E da CNE?

Quem põe cobro a isto?Xanana Gusmão poderá dizer, com verdade, que não sabe desta tramóia? Que não sabe que existem armas automáticas na sua campanha? Que não sabe que as verdades são como o azeite e que ele já não pode fazer que ignora que o CNRT está repleto de facínoras e aldrabões? Não basta ter razão quando aponta defeitos e erros cometidos pelos seus adversários políticos, Fretilin. Xanana e o CNRT têm de dar provas que estão de boa fé, que são gente de bem, patriotas e que os interesses dos timorenses estão acima dos interesses e promoções pessoais. Assim não acontece, estando Xanana e o CNRT a mostrar aquilo que pretendem para Timor: instabilidade, dependência, miséria!

Diz-me com quem andas dir-te-ei quem és!

http://timorlorosaenacao.nireblog.com/

Manuel Carlos said...

Mentira! Mentira! Mentira !Ana loro Makerek !
GEREMANO DA SILVA eh e serah sempre Geremano da Silva. Foi elemento da Fretilin, esteve preso comigo e o tal capacete de aco da tropa Portuguesa com escrito HAU
FRETILIN" esteve na sua cabeca quando foi interrogado pelo Tenente Aci Buan da Inteligencia Indonesia. Ana ou D. Ana aprenda a respeitar aqueles que sentiram bem na pele o chicote. E a proposito a Ana Loro Makerek serah Timorense?
Duvido pois nao conhece o Geremano.
Manuel Carlos