Saturday, 9 June 2007

Ainda não está definida a data para a rotação dos militares da GNR em Timor-Leste.


O secretário de Estado adjunto e da Administração Interna está este fim-de-semana no território para a comemoração do 10 de Junho. À chegada José Magalhães apenas garantiu que a rotação está a ser negociada com as Nações Unidas.

“A discussão decorre normalmente entre Lisboa, Dili e Nova Iorque e esperamos que atinja o seu resultado positivo com maior brevidade. Temos como garantia absoluta, dada pela República Portuguesa, que não haverá descontinuidade da presença da força de segurança que aqui mantemos. Haverá uma rotação feita com eficácia, com elevadíssimo grau de prontidão que garanta em qualquer caso uma continuidade absoluta do sub-agrupamento Bravo”, disse.

Essa rotação só deverá acontecer em Agosto, o que já criou insatisfação generalizada nos militares da GNR em Timor-Leste.

3 comments:

Margarida said...

O secretário de Estado adjunto e da Administração Interna José Magalhães não garantiu apenas que a rotação está a ser negociada com a ONU. Lembrou também que “o Subagrupamento Bravo foi reforçado em Abril com dois pelotões, integrando actualmente 220 militares, o que «garante uma continuidade absoluta da acção» no plano de segurança para as eleições legislativas de 30 de Junho. E que «A eficiência portuguesa não está posta em causa, temos todas as condições para uma boa solução para toda a gente», garantiu o governante. (…)”
http://diariodigital.sapo.pt/news.asp?section_id=13&id_news=280201

Isto é, parece-me que o Atul Khare vai ter que enfiar a viola no saco…

Manuel Carlos said...

GOSTEI DESSA DA VIOLA DENTRO DO SACO.
Manuel Carlos

Margarida said...

Fiquemos à espera do que é que o Atul Khare agora vai dizer...